Você está aqui: Página Inicial > Intercâmbio > Camups Curitiba II - FAP recebe professor da Colômbia

General

Camups Curitiba II - FAP recebe professor da Colômbia

O Curso de Musicoterapia da Faculdade de Artes do Paraná (Campus II/ Unespar), tem ampliado suas iniciativas, buscando incentivar pesquisas na área de musicoterapia. Nesta perspectiva, recebeu, no mês de junho, o professor colombiano Raul Enrique Rincón Florez, da Universidad de San Buenaventura (Bogotá – Colômbia),para um ciclo de palestras e minicursos voltados ao Centro de Música e de Musicoterapia. A ação foi organizada pelo Curso de Musicoterapia do campus, coordenado pela professora Noemi Ansay e pelo Escritório de Relações Internacionais.

O professor colombiano, mestre em musicoterapia, apresentou sua pesquisa com grupos na área da saúde e destacou como a área, associada a tecnologia, traz ferramentas com grande potencial ajudar pessoas que possuem alguma deficiência. Segundo ele “a tecnologia pode melhorar, não só a questão de movimentos, mas também pode auxiliar nos processos cognitivos”, como demonstrou em pesquisa realizada com crianças com paralisia cerebral em sua dissertação de mestrado. Sobre a experiência que teve nessa vivência na Unespar declarou “um pouco disso tudo que estudei pude compartilhar com a Unespar e ao mesmo tempo pude ver outra realidade, outra cultura, e, principalmente como é a Musicoterapia para diferentes populações.

Algo interessante foi ter participado de uma das práticas dos estudantes e ver que o trabalho feito aqui é integral, não está concentrado unicamente em uma etapa do ser humano. No seu relato sobre o intercâmbio Raul ressaltou que ao sair de nosso país tendemos a absorver muito mais, porque mudamos o modo de ver a vida, o que aumenta nossas perspectivas e gera oportunidades para compartilhar, levar e deixar algo para o outro.

Para a Coordenadora, Noemi Ansay, “esse contato com um professor de outra instituição é muito importante para os alunos e docentes, estabelecendo relações que podem ser aprofundadas ao longo do tempo". Experiências internacionais são fundamentais pois a Musicoterapia se insere, no cenário brasileiro, E em outros países. Assim acontece uma troca de conhecimentos e saberes. “Dessa forma abrimos a possibilidade de realizarmos investigações científicas juntos, com a possibilidade de conhecer outra realidade que não a nossa. O processo comparativo nos enriquece muito. Seria bastante profícuo para o curso um convênio com uma instituição do exterior, para que estudantes vivam a experiência de mobilidade e atuem no desenvolvimento de pesquisas”, afirmou a coordenadora.

Entre os temas abordados durante o encontro destacaram-se as palestras sobre música como estímulo multimodal e suas relações com as áreas funcionais do cérebro e sobre o uso de recursos tecnológicos em educação musical e musicoterapia. Da programação constou ainda minicurso “Minicurso “Produção Musical, Acústica e Sonologia”, visita à Escola especial Primavera e acompanhamento de atividades do Centro de Atendimento e estudos em Musicoterapia – CAEMT.